Assim nascem os textos... Sem avisar... Bater na porta, ou mandar recados... Não se mostram, apenas chegam, e chegando não findam... São perenes, reais e eternos...

Por: Beth Brito

sexta-feira, julho 13, 2012

Mais um texto premiado

Para minha alegria mais um texto meu premiado no Nordeste! Agora no Festival de Literatura Regional em Salvador! Pernambuco arrasando mais uma vez através do meu trabalho. Estou muito feliz graças a Deus! Literatura regional é a minha paixão.


Pernambuco de todos nós


Oh Pernambuco dos meus amores
Do frevo, xaxado e baião
Paulo Freire e Gonzagão
Do manto das cinco cores,
Sol, manguebeat e passistas
Um celeiro de artistas
Do litoral ao sertão...

Do massapé da mata
Surgem caboclos de lança
Que a seu modo resgata
Total cultura e herança
E em seu colorido mostra
Que o povo canavieiro
De lutar nunca se cansa...

No batuque da ciranda
Itamaracá é de Lia
Com a sua melodia
O Litoral fez girar,
Resgatando a poesia
Verso rima e melodia
Da cultura popular...

Tem Suassuna, Lenine
Arlindo dos 8 baixos
Jô Borges criando
Esculpindo Xilografos,
Do simples ao erudito
Tem até um tal de Chico
Que fez do mangue um terraço...


Agropecuária, pesca
Comércio, tecnologia
Indústria e produção diversa
Faz surgir um novo dia
O dia da evolução
Proposta de vida progressa
Trazida para essa nação


Cinco Mesorregiões
Compõe esse nosso Estado
Distintas situações
O povo tem enfrentado,
Mas o melhor de tudo
É que ninguém fica mudo
Quando o tema é “empregado”...

A viagem se prossegue
Descrevida nesses versos
E mostrando se consegue
Decompor esse universo,
Que é nosso, meu e seu
Do ar, terra, sol e mar
Nova Roma de bravos guerreiros
Pernambuco secular!

Beth Brito – 2012


.

17 comentários:

  1. Esse texto ta muitíssimo showww Beth... To arrepiado, sério mesmo!! Muito bommmmmmmmm, boníssimo!

    Assim me apaixono!

    Cabelo.

    ResponderExcluir
  2. Meu Deussssssss, parabéns Beth! Você se garante demais!!! Lindo texto..............

    beijos

    ResponderExcluir
  3. Sem palavras, belíssimo texto. Você é muitooo boa Beth!! PARABÉNS, SAUDADES.

    ResponderExcluir
  4. Amigaaaaaaaaaaa, arrasa em Salvador!! Que genial esse texto! Ameiii

    ResponderExcluir
  5. Muito show Beth, posso trabalhar ele? Fazer apresentações com ele? Diz que simmmmmmmmmmmmm!!

    beijos

    Wagner Pinto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. simmmmmmmmm simmmmmmmmmmm simmmmmmmmmmmmm

      kkkkk

      bjos

      Excluir
  6. Prodígio de Tia Fatinha!! Lindo demais esse texto ficou showwwww, é uma setilha né?

    bjus

    ResponderExcluir
  7. Sem comentários Beth! Ficou arrasanteeeeeeee hohohoh!!! Adorei!

    ResponderExcluir
  8. Grande poetisa, linda menina dos olhos negros! Saudades desses textos lindos que me fazem refletir e viajar pra longe... Pra terra no marco zero! Pra os canaviais na mata... Saudades daquele café no paço, das risadas no catamarã. Preciso te ver... Bela construção, pela produção, amei. Como amo tudo em você.

    Beijos do seu amigo pantaneiro que vive com saudade de você "oxi"! jeje

    Roger Saldadanha

    ResponderExcluir
  9. Um belo dia, sentado na cadeira amarela da livraria cultura, deparei-me com uma moça linda... e ela me olhou, olhou, eu pensando que ela estava me paquerando, mas ela queria me fazer uma pergunta: O senhor é parente do poeta VInícius de Moraes? Eu respondi: Sou primo legítimo! E o pior de tudo, me decepcionei pq ela não me paquerava, rsrs, e ainda tive que provar que o que eu falava era verdade! ô pernambucana desconfiada bixo! rsrs... Mas de lá pra cá, ganhei uma jóia... E sempre falo: Se eu tivesse 30 anos, a gente ia casar!rsrsrs

    Belo texto, cordel lindo falando dessa terra massa que eu adoro!

    beijos minha flor.

    ResponderExcluir
  10. Perfeitamente lindo minha linda! Um giro 360 graus na realidade vigente e passada... Esse texto é brilhante Beth!! Venha nos visitar! Olha o que Roger colocou pra te intriçar: Oxi! kkkkkk

    bjo no coração.

    ResponderExcluir
  11. Beth, que texto incrível, tal qual você. O melhor que vc não se acha, e como eu sempre disse (quando tive oportunidade) essas criações têm que ser mostradas, divulgadas... E não algemadas, hein! Dia desses eu estava lendo esse texto que ganhei de uma poetisa, ha algum tempo atras...

    O medo chega perto
    Quando tuas mãos repousam em mim
    Leves como folhas de outono
    Aguçando meu jeito de sentir,
    Com o teu de tocar
    Eu fecho os olhos...
    E viajo na suavidade dos teus desejos...
    És alguém que de repente
    Fez-me doar do meu jeito
    Minhas particularidades presas,
    Adormecidas e silenciosas
    Talvez quase inertes
    Mas com você as descobri latentes...
    Viver implica em não ver esses medos
    Quero apenas te ter,
    E com essas poucas palavras dizer
    Que há coisas em que eu não esqueço nunca
    Mas há poucas em que eu muito pense,
    E meus pensamentos constantes
    Só pedem você.

    Beth Brito
    06/03/2010

    saudades demais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lembro sim, claro. Essa poetiza ainda era romântica nesse tempo!

      Excluir
  12. Perfeito. Lindo. Representando PE muito bem. Vc merece minha amiga. Amei esse texto.

    abraços

    ResponderExcluir
  13. Tenho certeza que esse texto fará muito sucesso também nas rodas literárias em Recife!! Lindo

    ResponderExcluir
  14. Obrigada a todos pelo carinho e pelos parabéns! É bom fazer o que a gente gosta! Sempre escrevo quando posso, tentando cada vez mais melhorar!

    beijos para cada coração.

    ResponderExcluir
  15. pROFESSORAAAA, QUE MASSAAAA, AMEI!

    BJOS

    CESAR

    ResponderExcluir