Assim nascem os textos... Sem avisar... Bater na porta, ou mandar recados... Não se mostram, apenas chegam, e chegando não findam... São perenes, reais e eternos...

Por: Beth Brito

quarta-feira, abril 29, 2009

" O SOM DO SILÊNCIO"


Sol no eclipse é sol obscurecido
Mas ainda sim ha uma luz,
Nos arredores do círculo conciso
Uma breve esfera reluz...

Não te comparo a um dia de verão
Que é por certo belo e ameno,
Já te cito, és toda a estação
A cada ano de sol renascendo...

Que nada te impeça prosseguir
Pois na passagem obstáculo se altera,
Se cada amanhecer te faz sorrir
A força do teu "Eu" é Primavera...

As vezes brilha o sol em demasia
Noutros dias se desmaia com frieza,
Quem é forte se renova a cada dia
Na terna mutação da natureza...

A batalha desta vida é um dom
Onde poucos regogizam com bom senso,
Teus sentidos que progridem como o som
Transformando em canção todo o silêncio...

De: Beth Brito26/04/2009
Para o amigo: Iremar Galdino

Nenhum comentário:

Postar um comentário