Assim nascem os textos... Sem avisar... Bater na porta, ou mandar recados... Não se mostram, apenas chegam, e chegando não findam... São perenes, reais e eternos...

Por: Beth Brito

sábado, janeiro 22, 2011

A voz do silêncio

O post abaixo é um presente! Lindo cada sentimento expresso por entre as linhas... Poder se desnudar em palavras e ser entendido mesmo no silêncio que fala... Por isso posto aqui, o seu texto Laércio, sem mais o que dizer. Releio e vivo.







Bebo a palavra, brindo à palavra.
Exposto ao silêncio que fere a palavra,
vivo a palavra, alma da língua,
a morrer de sede, em silêncio, à míngua.

Água palavra nossa de cada dia.
brilho do sol que clareia a areia da praia,
não me falte o encanto, mesmo em silêncio não cale.
Silêncio noturno que apaga a esperança,
não me roube a poesia, por favor cante, diga, fale.

Bebo o silêncio, brindo ao silêncio,
No silêncio que afaga o gesto, vivo.
Vivo o silêncio, alma do pensamento
que se expressa no olhar.
Escuto as palavras que moram nas entrelinhas
Escuto o silêncio que fala.


Por: Laércio Lins

7 comentários:

  1. "Não me falte o encanto, mesmo em silêncio não cale..."

    Essa frase é pra vc que some e deixa a gente com saudades!

    Lindo texto. Ao autor, meus parabéns!

    beijos D. Beth Brito.

    ResponderExcluir
  2. Lindo texto... Perfeito... Amei!

    bjs

    ResponderExcluir
  3. Só um olhar teu é um infinito e misterioso silêncio... Belo texto.

    bjos

    ResponderExcluir
  4. Magnífico... Presente?? Hummmmmmmmmm rs

    beijos

    ResponderExcluir
  5. Gostei da cara nova daqui. E da sua mão controlando o verso também.

    ResponderExcluir
  6. "SUSPIROOOOOO...!!!!!!!!"amiga desejo á vc.um fds.cheio de amor...beijos queridaaa!!

    ResponderExcluir